sábado, outubro 18, 2008

Ei, minha última postagem foi a de número 1.000, viva! Parabéns pra mim. Patrícia, Thiago, eat your heart out, hoho.
Tempo de falar um pouco da rede. Coisa estranha, ela. Mergulhei mesmo na net depois de 2000 ou 2001, não me lembro bem, mas de qualquer maneira depois da maioria de vocês, suponho. Era mais fácil me identificar com as pessoas que diziam que nunca substituiriam amizades e relacionamentos reais por virtuais, etc. Hoje se vê claramente que "substituir" é a palavra errada. Há os relacionamentos de carne e osso e os daqui. Que são diferentes, mas não piores.
A net me trouxe incontáveis pequenas alegrias e comodidades, como deve ter sido para vocês também. Agora mesmo estou envolvido na compra de um novo amplificador e caixas acústicas para minha casa, e não imagino como estaria me virando sem tudo o que acabei de aprender sobre produtos e preços - num segmento do mercado tão "secreto" e restrito aos iniciados como este.
Também sofro em frente ao computador - e partilho agora do meu calvário de ontem.
Aconteceu de novo. Espetei-me na quarta, após anestesiar Dna. Jandira, para realizar sua cirurgia de catarata. Ela não tem antecedentes pessoais de transfusões ou hepatites, mas há um protocolo rígido para estes casos: colhe-se o sangue para exames do paciente e do profissional que se acidentou, com sorologias para tudo que é doença infecciosa/DST, para se estabelecer um "baseline" a partir do qual se traça uma estratégia de profilaxia/tratamento. Já me aconteceu isso no passado, até relatei aqui, e possivelmente vai acontecer no futuro. Mas não há nada que se possa fazer realmente, a não ser tomar cuidado sempre.
Pois bem, os exames (os meus e os dela) ficariam prontos ontem. Desnecessário dizer que estava uma pilha nestes dias. E ontem passei A TARDE TODA em frente ao computador, visitando o site do laboratório a cada poucos minutos (by the way, tudo zerado com ela e comigo, graças a Deus. Estou puro como a Branca de Neve). Mas foi realmente estranho olhar para a tela, e quase pedir por favor para que ela me mostrasse os resultados que teimavam em não ficar prontos. Por pouco deixaria de ser uma máquina e se tornaria uma criança emburrada, voluntariosa e cruel.
Pois esta é a net pra mim. Mudou mais minha vida do que pensava até agora - até este momento em que paro pra organizar estas pequenas histórias. E como presente, vou partilhar com vocês a música mais bonita que o bom Deus pôs na Terra, do Ratatat. É só clicar na foto dos cabeludos aí em cima.

2 comentários:

Patricia Scarpin disse...

Adorei tudo - saber que é o post 1000 e mais ainda que você está bem.

Você sabe o quanto gosto de ler o seu blog e também que lhe considero um amigo muito querido, mesmo que virtual (talvez por enquanto? Who knows?)

E para continuar no espírito de Internet: xoxo

A.L.E. disse...

Yep Yep Hooray!!!!!!!!