segunda-feira, novembro 10, 2008

Vocês conhecem a ética das piscinas? É assim, ó (pelo menos aqui onde moro): se você está muito cansado e não quer fazer o treino com os outros atletas, mas só "soltar" um pouco, saiba que a prioridade é de quem está fazendo o treino sério, cronometrado, conforme está na planilha. Na pranilha. Ou seja, os atletas que estão fazendo os "tiros", com os percursos de cada 100 metros cuidadosamente registrados, e que têm que manter o ritmo, têm prioridade de passagem. Na prática funciona assim: o treinador dá a largada, e saem todos em fila, um na "esteira"do outro. O zé ruela que resolveu vir só pra descansar, ao sentir que alguém toca seu pé, reduz o ritmo e deixa o comboio passar. As ultrapassagens são feitas sempre pela esquerda, como era de se esperar. Simples, não? Pois não é. Nem sempre.
A piscina é um lugar bem democrático, e mesmo o melhor de cada raia, se não estiver puxando a fila, tem que nadar direitinho em seu lugar, sem atrasar os outros nem ficar cutucando quem está na frente. Mas às vezes aparece um "first among equals" (é o título de um best-seller, lembram-se?), como hoje, que resolve nadar PEITO enquanto todos estão ralando nos tiros, e virar NA CONTRA-MÃO, pra completar.
Cada vez entendo menos as pessoas. Esse cretino de hoje é um encrenqueiro notório e contumaz. Namora uma das atletas do grupo; tem uns cincoenta anos mas age como um pit-bull, um playboyzinho nervoso. Fazia questão de acelerar e impedir a passagem do grupo quando tentávamos ultrapassá-lo, e abria os braços pra atingir quem nadava do lado. O cara nem faz triatlo, é só o ilustre namorado de alguém. Os atletas reclamaram com o técnico, que foi falar com o energúmeno.
Agora vem o melhor: imagine que você não é do grupo (nem sei se ele é aluno regular daquela academia), NUNCA nada naquela raia e atrapalha todo mundo. Atrapalha a ponto de - vergonha suprema - o treinador vir conversar com você pra pedir pra parar. O quê você faz? Enfia a viola no saco e sai de fininho, como qualquer pessoa civilizada, certo? Errado! Você vai até a beirada da raia e começa a gritar pra saber "quem é que foi reclamar de mim"!!!
O Fernando, que tinha feito a reclamação, ficou mudo. E o cretino lá dando escândalo. Comecei a falar algo, o cara falou mais alto ainda e saiu bufando.
Sei que é meio comprida a história, mas é tão rica, tão ilustrativa da miséria e egoísmo humanos, que tive de dividir pra perguntar o que vocês acham. Não sou um modelo de comportamento, mas fiquei profundamente desanimado com tudo. Parece que foi a gota d'água, o que faltava pra eu ver que a barbárie nunca nos deixou, e que só espera uma brechinha a cada dia pra mostrar sua truculência.

2 comentários:

Patricia Scarpin disse...

Se você trabalhasse no meu lugar veria essas "qualidades" todas diariamente. Uma coisa ótima. Pessoas que acham que os outros existem no Universo só para atendê-las. E que dão piti assim mesmo quando contrariadas.

vanweb disse...

As pessoas fazem isso em todos os lugares, no trânsito quando vc dá seta elas aceleram p/ vc não entrar, no supermercado quando te cortam com o carrinho e nem te olham na cara, quando estacionam nas vagas de deficientes, ou pegam duas vagas e não estão nem aí se o estacionamento está cheio, quando falam loucamente no celular prendendo uma vaga de estacionamento ou dentro do consultório e por aí vai... as pessoas fazem isso o tempo todo e se alguém é folgado com elas aí a casa cai! Desabafei...