terça-feira, setembro 16, 2008

É nisso que dá chegar no final da festa, quando todo mundo já se empanturrou de bolo. As notas, ou ratings, que as agências norte-americanas dão aos governos e organismos financeiros do mundo todo, e que servem de base para que investidores avaliem a segurança de investir nesses lugares, estão a serviço... dos norte-americanos, claro. Que dão a nota máxima a todas as suas instituições. Esforços hercúleos de saneamento com o do governo brasileiro, que honra todos os seus compromissos, tem um sistema bancário eficientíssimo, zerou a dívida internacional e tem uma poupança interna zilhões de vezes maior que a dos nossos irmãos do norte, são premiados com um upgrade pífio, que praticamente não nos tira do meio da escala.
Bancarrotas fragorosas como as das gigantes Fannie Mae e Freddie Mac (isso lá é nome de instituição financeira séria?), do banco Lehman Brothers, da Merril Lynch e, hoje, da "gigante" (todo mundo que tá quebrando é gigante nowadays. O mundo vai ser dos anões, pelo que vejo) dos seguros AIG, são quase premiados com um modestíssimo downgrade de suas notas. Esta última instituição, que está à beira do colapso e é a próxima a quebrar, caiu de "A1+" para "A2". Eu dou nota "Z", se querem saber.
Pior do que isto só os chineses, que punham fórmica em pó na ração de cachorro pra parecer, nos testes, que a ração tinha mais proteína do que realmente tem, e andaram matando cachorro no Canadá e não sei mais onde. Pois agora eles põem no leite em pó para crianças, e estão matando bebês.
Os autores da façanha são estes crápulas, mas até o site anda fora do ar - bem à maneira chinesa de resolver os problemas.

Um comentário:

Alessandro disse...

O Senhor das Moscas está solto! Corram se querem salvar suas vidas ... como diz DonaDalina (minha avó): é o fim dos tempos!